MEDICINA EFETIVA É O NOSSO OBJETIVO

RESULTADOS DE EXAMES

X-frágil

A Síndrome do X-Frágil (SFX) é uma doença genética causada por repetições no trinucleotídeo CGG no gene FMR1 no cromossomo X, sendo a causa mais comum de retardo mental herdado. O número de repetições está associado com os vários distúrbios que podem ocorrer tanto em indivíduos jovens quanto em adultos. A síndrome é causada pela mutação completa desse gene.

 


Figura 01: Interpretação clínica e avaliação do risco da Síndrome do X-Frágil e desordens relacionadas. Quatro perfis fenotípicos podem ser observados baseando-se no número de repetições CGG e no status de metilação do gene FMR1.

 

Diagnóstico laboratorial:
Estudo molecular para X-Frágil: Pode ser feito em homens e mulheres e é capaz de identificar os 04 fenótipos associados à doença.
Observação sobre o teste: As grandes vantagens desse teste são a rapidez e a especificidade aliadas à capacidade de quantificação do trinucleotídeo CGG. A alta resolução do teste evita a necessidade da realização de testes confirmatórios mais caros, demorados e laboriosos, como o Southern Blot. Cariótipo para estudo do X-Frágil: Recomendado somente para homens, não é capaz de identificar portadores da pré-mutação.
Observação sobre o teste: a mutação completa no locus FMR1, situado na banda cromossômica Xq27.3, pode resultar numa constrição e fragilidade do cromossomo X nesse ponto (10 a 40% das metáfases exibem o sítio frágil no cromossomo X). Nessa região, não ocorre o condensamento durante a divisão celular (fenômeno que deu nome à síndrome), porém, nem todas as células do paciente com a expansão completa apresentarão a constrição e, portanto, é necessário um número significativo de células (cerca de 100 metáfases) sob condições que induzam o aparecimento do sítio frágil.

 

NOME DO EXAME  METODOLOGIA
X FRÁGIL - PESQUISA POR PCR  PCR E ANÁLISE DE FRAGMENTOS
CARIÓTIPO X FRÁGIL        CITOGENÉTICA

 

 

 


Segundo diretrizes do American College of Medical Genetics, é recomendado o uso do teste por biologia molecular como teste definitivo tanto para o diagnóstico da Síndrome do X-Frágil, como para o estudo de portadores da  S6-S7, 2009


Referências
1. CHRISTOFOLINI, et al. Arq. Bras Ciên Saúde, 34 (1), 22-6, 2009.
2. GONÇALVES MRR, et al. Neurology 68: 1864-6, 2007.
3. HUBAYTER , J. et al Fertility and Sterility 92(3), S6-S7, 2009.

 



Veja mais:

Laboratório Proll-Med firma parceria com a COT
O que é Intolerância Alimentar?
Vitor Miranda firma parceria com o Laboratório Proll-Med para melhorar seu desempenho físico.
Exame toxicológico de larga janela
UNICEF abre suas redes sociais para jovens vivendo com HIV
HEMOSC comemora Dia Nacional do Doador de Sangue
Campanha Coração na Batida Certa
Toxicologia Ocupacional
Saúde da Mulher
Painel Molecular Para o Risco Cardiovascular

ONDE ESTAMOS

Matriz:
Rua Iririú, 1476 – Iririú
89227-045 - Joinville - SC

Telefone:
47 3804-3283

Email:

Diretor técnico: Giscard Siervo Conte - CRF 3266


CURTA E COMPARTILHE